http://blogak-47.blogspot.com/2010/04/um-tributo-camarada-stalino-pai-dos.html

domingo, 29 de julho de 2012

As Olimpiadas de Moscou - 1980.





Camarada Leonid Brezhnev. Não entendo o como ainda se atrevem a chamar seu governo de "Era da Estagnação".



 
 



A superioridade esportiva do Socialismo.

Faço esta postagem me aproveitando do clima de Olimpiadas.




“De que me vale 1 milhão de dólares comparado ao amor de 8 milhões de cubanos?” - Teófilo Stevenson, o recém-falecido boxeador cubano. Suas proezas lhe renderam homenagens até mesmo nos jornalões brasileiros.



Nos últimos Jogos Panamericanos de Guadalajara, Cuba ganhou 58 medalhas de ouro (136 no total), ficando em segundo lugar na classificação geral, atrás apenas dos EUA (92 medalhas de ouro em um total de 236). Levando-se em conta o tamanho de cada população, porém, a ilha revolucionária foi a grande vencedora, visto que os EUA tem quase 30 vezes a população de Cuba. Não há surpresa alguma em tais proezas. Desde cedo, sabe-se que o Socialismo é tão superior ao capitalismo que ele não aceita comparações. 

E o esporte é um exemplo. Na verdade, o esporte é um dos maiores exemplos. Quando o Príncipe Harry veio aqui pro Brasil, ele jogou Polo. O Polo é um jogo no qual tenta-se marcar gols batendo numa bola com um taco em cima de um cavalo. Francamente, por mais que as pessoas tentem afirmar, Polo está longe de ser um esporte. É uma besteira. O praticante não "sua". Por isso ele é um dos esportes favoritos dos ricos - os ricos PODEM comprar cavalo, proteção e toda aquela parafernália inútil.

Esporte de verdade é jogar bola - seja com as mãos (basquete, handebol), com os pés (futebol), com os tacos (baseball)...

Esporte de verdade é luta. Luta livre, capoeira, caratê, judõ, taekwondo, jiu jitsu, Boxe, Muay Thai..

Esporte de verdade é o que faz suar - como os que envolvem força física, atletismo ou corrida de bicicleta.

Até esportes de água, como natação, são esportes.


Hong Un Jong, a ginasta norte-coreana recebeu a medalha de ouro nas Olimpiadas de Beijing - 2008.

Por isso que em nenhum país o Polo é popular. Por isso que o Golfe é praticamente inexistente no Brasil. O povo brasileiro, as massas brasileiras, são pobres ou de classe média. E até quem é de classe média prefere o Futebol ou as lutas. Porque vocês acham que há tanta Capoeira nos lugares pobres do Brasil?

Assim, sendo o Socialismo a ideologização das aspirações populares, não se pode ser um país socialista e não investir incansalvemente no esporte.

Que diga Cuba, onde os que apresentam gosto pelo esporte recebem todos os incentivos necessários do Estdao para continuarem seu treinamento. Desde cedo.


Mas não é só Cuba.

A URSS foi o primeiro e é o único país socialista da história a sediar uma Olímpiada. O Comitê Olímpico se reuniu em 1974 e preferiu Moscou do que Los Angeles. Irritados, os Estados Unidos iniciaram um boicote contra os jogos olímpicos de Moscou, em 1980, e alegaram ser um protesto por causa da Intervenção Soviética no Afeganistão (na verdade, os soviéticos estavam ajudando seus colegas afegãos a destruírem bandidos, assassinos e fanáticos religiosos violentos financiados pelo tráfico de drogas e pelos próprios americanos).

Mesmo sem a presença dos EUA e dos países que aderiram ao Boicote, como EUA, Alemanha Ocidental, Japão, Canadá e a China de Deng Xiaoping - as Olimpíadas foram um sucesso. A URSS conquistou 80 medalhas de ouro, a RDA (Alemanha Oriental) ficou em segundo e conquistou 47. Bulgária e Cuba ganharam ambas 8 medalhas. O Brasil ganhou só duas medalhas de ouro.

4 anos mais tarde, foi a vez de Los Angeles sediar as Olimpiadas. Os soviéticos deram o troco e foram os que boicotaram as Olimpiadas dessa vez. Nenhum país do bloco do Leste Europeu participou, com a notável exceção de Iugoslávia e Romênia - que ficou em segundo, com 20 medalhas de ouro . Ao invés disso, os países socialistas organizaram os "Jogos da Amizade", um evento paralelo que trouxe atletas de mais de 49 países.

File:Druzhba-84.png


De qualquer forma, as Olimpiadas de Moscou até hoje são mais lembradas pelas pessoas de todo o mundo. Em particular por causa de sua mascote, o Ursinho Mishka.


Para concluir, vejamos mais fotos que mostram a afinidade esporte/socialismo.


Fidel Castro jogando Baseball.



Fidel Castro jogando com Poloneses.




Mais baseball.



E agora, Ping Pong. 



Sambo - arte marcial nascida na URSS. O Presidente russo, Vladimir Putin, foi um fiel praticante quando era um capitão da KGB.




Nadia Comaneci, a romena que causou um impacto gigantesco na ginástica ao participar das Olimpiadas de Montreal, 1976, então com apenas 14 anos.


File:Serhij Bubka.jpg


Estatua de Serguei Bubka, atleta ucraniano que ganhou vários ouros com o Salto com Vara.











sábado, 28 de julho de 2012

Com o Conflito na Síria - só há duas opções para os "Cristãos Sionistas"



Quem são os "Cristãos Sionistas"?

Basicamente, são pessoas que tentam justificar a existência criminosa de Israel a partir de um ponto de vista "bíblico". Alguns afirmam que a criação do Estado de Israel, em 1948, é o sinal supremo da Segunda Vinda de Jesus Cristo. Outros simplesmente são defensores do que eles supoem ser "o caráter cristão e democrático do Sionismo".

Sim, eu também não entendi a ideologia deles. Eu não entendo o como uma entidade política criada não pela "luta do povo judeu", mas pela ONU a partir de aspirações colonialistas dos Britânicos, pode ter alguma relação com um ''milagre divino". Mais importante, eu não entendo o como um regime que construiu seu território roubando terras dos Palestinos, do Egito (Sinai) e da Síria (Golã) em guerras covardes - e que ainda aspira a criação de um país maior com mais terras de países árabes - pode representar a visão de Jesus Cristo de "Não Roubarás". Eu não entendo o como um país que mata seus inimigos do jeito que Israel mata - desde inimigos mortos por espiões no outro lado do mundo até homens, crianças, mulheres e idosos mortos por bombardeios - pode representar a visão cristã de "Não Matarás". Eu não entendo o como um país que expulsa imigrantes africanos e impede Palestinos de voltarem a sua pátria  pode representar a mensagem de Jesus Cristo de que se deve "Amar ao próximo".
File:Vandalized grave.jpg

Pichação em um Túmulo. Em hebreu se vê escrito "Morte aos Árabes".

E o que é mais irônico, eu não entendo o como um cristão pode defender o Sionismo, sendo que em Israel mesmo há uma série de ofensas contra a comunidade cristã:

TV de Israel satiriza Jesus Cristo e Virgem Maria e irrita Vaticano.

Membro do Parlamento Israelense rasga Bíblia e joga livro no lixo

Neste vídeo, um colono israelense (pode-se ver seu kippah, seu sotaque hebreu - e também a garrafa de bebida nas mãos) xinga a torto e a direito e fala: "We killed Jesus; we're proud of it" (Nós matamos Jesus e nos orgulhamos).

Ele também fala: "This is my land, you fuck!"(Esta é mnha terra, seu merda!) e "We're gonna kill you and the Palestinians, you Nazi" (Nós vamos matar você e os Palestinos, seu nazista)



Até mesmo muitos judeus se opôem ao Sionismo - e usam de argumentos baseados na Torá para mostrar suas opiniões progressistas.

http://www.truetorahjews.org/

http://www.rabbisforpalestine.org/2009/12/21/judaism-rejects-the-zionist-state/

http://www.nkusa.org/aboutus/zionism/judaism_v_zionism.cfm

http://jewsagainstzionism.com/

...

Então, porque motivos um Cristão seria Sionista?

Porque ele, é um idiota. A idiotice dele está para seu cristianismo como um urso está para um cupim.

Pesquisando, descobri um dos mais árduos defensores do ''Sionismo Cristão" - Pat Robertson.

Pat Robertson é representante da "Christian Right" termo americano para os conservadores mais ligados ao cristianismo, ele até tentou ser Presidente Americano. Também previu o fim do mundo para 1982, mesmo ano que disse que Jesus voltaria.

Quando o terremoto do Haiti causou 100 mil mortos em 2009, ele afirmou que os haitianos estavam sofrendo por causa de um "pacto com o diabo"



Ele afirma, entre outras coisas, que feminismo é "matar os seus filhos, praticar feitiçaria, destruir o capitalismo e tornarem-se lésbicas", Que o 11 de Setembro foi "juízos da ira divina contra os homossexuais, ateus e liberais". Também pediu para que os serviços secretos matassem Hugo Chávez, acusando-o de ajudar comunistas e muçulmanos no Continente. Ele ainda acusou o Islã de não ser uma religião, mas uma ideologia política fascista. 

Sua defesa do Sionismo é tanta que ele chegou a dizer que Ariel Sharon, ex-primeiro ministro de Israel, estava em coma vegetativo porque Deus o castigou por "dividir a terra de Deus com os Palestinos".


Vários outros pastores americanos seguem as teorias de Robertson - como Jerry Falwell. O Sionismo cristão é quase uma regra nos círculos conservadores americanos, atraíndo gente como Glenn Beck e militantes do "Tea Party"



...

Como quase todo mundo sabe, desde 2011 a República Árabe Síria enfrenta grupos terroristas armados, organizados no autoproclamado "Exército Livre da Síria". Este grupo visa a derrubada de seu Presidente, Bashar Al-Assad. Se inspiram na "Revolução" na Líbia, quando assassinos e bandidos derrubaram Muammar Al-Gaddafi com a ajuda da OTAN e transformaram o país em um Estado ditatorial, porém fraco. Isso porque a "autoridade democrática" do novo regime é inútil perante a ação de dezenas de milícias independentes que agem como perfeitos foras-da-lei.

Basicamente, não há cristãos na Somália, nem no Afeganistão, graças á Al-Qaeda. A Al-Qaeda, fundada pelo milionário Saudita Osama Bin Laden, é uma rede organizada de organizações terroristas de países diferentes - mas que compartilham algo em comum: qualquer um que não seja muçulmano sunita como eles, está fadado a morrer. Ás vezes o simples fato de ser muçulmano sunita não te salva - você tem de ser radical e intolerante como eles mesmos são.

Os rebeldes sírios são fortemente ligados á Al-Qaeda. Mesmo que o ESL tenha sido fundado como uma organização neutra em relação á Al-Qaeda, os terroristas já se infiltraram dentro dela - e sua influência cresce cada vez mais.




Peguemos o exemplo dos Alauitas. Os Alauitas são um grupo étnico-religioso que vive na Síria e no Líbano. A fé Alauita, embora única, é mais próxima ao Islamismo xiita do que de qualquer outra religião. Por séculos, os Alauitas sofreram perseguição na Síria - isso mudou quando Hafez Al Assad chegou ao poder do Partido Baath e do país. Hafez, um Alauita, nomeou vários Alauitas para postos de comando no novo regime, enquanto fazia os Sírios não se virem mais como árabes, curdos, druzos, sunitas, xiitas, cristãos...Mas como Sírios!


Estando a cena política do país repleta de Alauitas, é comum que a oposição tenha um ódio dessa comunidade.

Logo, uma vitória rebelde (graças á deus está muito longe, pois mesmo eles conseguindo atacar a capital, o Exército Sírio ainda é centenas de vezes mais forte e tem o apoio da grande maioria da população) iria significar uma Síria sectária - tal qual antes da chegada ao poder de Hafez Al Assad, que tinha tolerância zero com fanáticos muçulmanos. Ele mesmo destruiu a Irmandade Muçulmana na Síria após eles se engajarem numa onda de assassinatos de Alauitas. Isso foi nos anos 80.



Ainda duvida? Pois bem.

Este é Adnan Al-Arour. Ele é um clérigo sírio que vive exilado na Arábia Saudita, a capital da intolerância no mundo. Ele é um ardente defensor da "Revolução Síria" e é conhecido pela sua intolerância com outras comunidades no país. Neste vídeo ele fala que ele e os revolucionários vão matar os Alauitas opositores e alimentar os cachorros com eles. Mais tarde, no vídeo, é explicado que o próprio Profeta Maomé disse que não se devia mutilar corpos, nem mesmo de animais.

A infame cena é mostrada de 2:20 até 2:30 e a parte que ele conclama tal violência é repetida várias vezes. Você terá de clicar em legendas (CC) para ler, em inglês.


Ok, ok...eles odeiam os Alauitas...mas, e os cristãos??

Como já disse, a Al-Qaeda é intolerante. O ESL é intolerante. Os batalhões do ESL recebem o nome de figuras históricas sírias, mas todas sunitas. Os atentados que hora ou outra matam centenas em cidades Sírias tem a marca registrada da Al-Qaeda.

Quando o conflito sírio mostrava sinais de que seria armado, a cidade de Homs ficou infestada de terroristas do ESL. A maioria dos milhares de cristãos foram expulsos da cidade.

O Cristianismo na Síria é um dos mais antigos no mundo. Uma campanha anti-cristã significaria não somente um genocídio, mas um ataque contra um patrimônio cultural da história da humanidade.

Na Síria, os cristãos apoiam Bashar Al-Assad. Bashar, filho de Hafez, continua a tradição de tolerância de seu pai e assim os cristãos da Síria recebem a proteção do governo. Na verdade, um dos quatro Oficiais militares Sírios de alto escalão mortos em um ataque terrorista em Damasco nesse mês - O Ministro da Defesa Dawoud Rajiha - era Cristão Grego Ortodoxo.

Outras manifestações de apoio.



A picture of Syria's embattled President Bashar al-Assad is superimposed on images of Jesus Christ and Virgin Mary, along with the national flags of Russia (L), China (top-R) and Syria, during a pro-regime rally in Damascus on February 5, 2012, while outrage grew after Russia and China blocked a UN Security Council resolution condemning Syria for its crackdown on protests, with the opposition saying it handed the regime a 'licence to kill.'


Fichier:AleppoMaroniteCathedral.jpg


















Como podem ver, os cristãos apoiam Bashar.

E por apoiarem Bashar, eles são vítimas favoritas dos rebeldes.





Igreja destruída.



Rebelde assassino e desrespeitoso.

4

Enterro de um cristão morto pelos rebeldes.

...

CONCLUSÃO

Uma queda do Regime Baathista transformaria o país num novo Iraque - após a queda de Saddam Hussein. A maioria dos iraquianos que fugiram da guerra são cristãos. Antigamente, a comunidade chegava aos milhões. Hoje, a minuscula comunidade cristã Iraquiana convive com medo de que sua Igreja seja a próxima a ser alvo de um ataque terrorista - algo que tem se tornado muito comum no país.

Não há desculpa para alguém que se diz cristão não apoiar Bashar Al Assad, seja pelas orações ou torcendo mesmo para que ele destrua todos os rebeldes. Bashar Al Assad não é cristão - Mas é ele quem garante que os cristãos possam rezar na Síria, ler a Bíblia livremente e expor sua fé abertamente. Nenhum cristão de verdade pode torcer para a derrota de Bashar, não importa o quanto ele acha os Israelenses um povo bonzinho.

Assad é antissionista. A Síria é parte do "Eixo de Resistência" do Oriente Médio, que inclui também Irã e Hezbollah. A Síria apoia o Hezbollah em todos os campos - do militar ao diplomático - e esse apoio foi crucial para a derrota das pretensões de Israel no Líbano em 2006. Os Israelenses odeiam Bashar Al Assad, cujo governo sempre se pôe ao lado dos Palestinos, inclusive abrigando vários grupos militantes em Damasco. O ódio é tanto que Israel atacou a Síria em 2007 - numa operação aérea contra um reator nuclear. Mas Assad não revidou. Assad não é pró-Guerra.

Embora Israel tenha se mantido calado neste conflito, eles sabem que uma Síria dominada pelos rebeldes lhe trará muitas oportunidades - inclusive um enfraquecimento da posição iraniana. Os próprios rebeldes já disseram querer paz com Israel.

Neste cenário caótico que se encontra a Síria agora, só há duas opções para os que são idiotas úteis do Sionismo e leitores da Bíblia ao mesmo tempo: Mostrar que amam Jesus mais do que Israel (bem mais) e apoiar um governo antissionista e pró-cristão - ou mostrar que preferem lamber botas de um regime quase satânico e fazer coro com os que clamam a queda de Assad em nome destes interesses.

As cartas estão na mesa.


sexta-feira, 27 de julho de 2012

O Espirito Indestrutível da Síria - Homenagem ao Exército Árabe Sírio e ao Povo da Síria

Mesmo perante a guerra e a destruição, os Sírios não são o tipo de povo que se desespera. Seu espirito é indestrutível!


terça-feira, 17 de julho de 2012

Vo Nguyen Giap: Uma lenda viva






Com o Comandante Chávez


...


Havana (Prensa Latina) O general Vo Nguyen Giap soma às derrotas de três poderosos exércitos de potência mundiais a vitória contra o tempo, ao ultrapassar um século de vida e um destacado trabalho intelectual, pouco conhecido pelos admiradores de suas históricas façanhas bélicas.

  Considerado como um dos maiores militares de todos os tempos, por sua estratégia de não retroceder jamais, este herói vietnamita representa toda uma lenda viva.

Ainda que não tenha conhecido Che Guevara, se comunicava com ele por cartas, leu seus discursos e o livro Guerra de Guerrilhas, que qualificou de ensino metodológico imprescindível para os novos combatentes, segundo disse a este jornalista em entrevista que ofereceu em Hanói pelo 30 aniversário da batalha de Dien Bien Phu, que pôs fim ao colonialismo francês na Indochina.

Giap tinha nesse momento 73 anos, com uma energia e lucidez espantosas. As sequelas da guerra pareciam não ter deixado impressões. No afã pela entrevista que lhes foi negada a destacados colegas de outros países, li o questionário, e o entreguei com um gesto amigável, como para não machucar.

Depois de uma pausa, falou e me olhou sorrindo. Agora só umas fotos no pátio da chancelaria e depois que conheça Dien Bien Phu, continuamos o trabalho, disse, e foi a melhor maneira de explicar que tinha exercido o ofício desde jovem e durante anos.

De origem camponês, Giap nasceu na aldeia de An Xa, província de Quang Binh, no dia 25 de agosto de 1911. Em sua etapa de estudante, foi expulso da Escola Nacional de Hue, antiga capital imperial, por participar em greves estudiantis.

Foi o primeiro homenageado como aluno eminente de toda Indochina ao se graduar em filosofia, para mais tarde se licenciar em Direito com Diploma de Ouro e iniciar seu trabalho como professor em vários centros até obter uma cátedra de professor de História no Instituto de Hanói.

Como jornalista, escreveu para os rotativos Notícias, Nossa Voz e Trabalho, entre outros meios de imprensa e em 1939, foi editado seu livro: A questão camponesa, primeiro dos mais de 70 que escreveu ao longo de sua vida de mais de século, publicados em diferentes idiomas e impressos em muitos países.

Ascendido a general em 1948 por Ho Chi Minh, por suas vitórias contra os invasores, conseguiu mais tarde pôr de joelhos três poderosos impérios: Japão, França e Estados Unidos.

Como escritor, soube combinar a temática militar com a economia e a política, exposta de maneira brilhante em uma de suas obras mais famosas, Guerra Popular (1961), na qual qualifica esses fatores de trilogia necessária para poder atingir o triunfo.

Em seu livro O caminho para Dien Bien Phu, descreve a odisseia de passar um exército por intrincadas montanhas com todos seus equipamentos militares, incluídos canhões, audácia que os franceses consideravam impossível. Poliglota, amante da poesia e da música, o longevo general do eterno sorriso se desempenhou em 1978 no setor científico e de educação, com o cargo de vice-ministro desses ramos. Seu livro Assuntos da ciência e a educação, resulta uma obra de grande valor para as novas gerações.

Seu pensamento tático-estratégico se resume em um axioma que desenvolveu em vários de seus escritos: "Graças ao poder de sua cultura tradicional, os vietnamitas sabem combinar seu resolvido espírito de combate em defesa do país com a arte criativa, para construir um princípio militar original que é a doutrina militar do Viet Nam".

Dedicou recentemente ao povo cubano sua obra Guerra do Povo, Exército do Povo, como uma saudação de solidariedade e vitória, exposta na Feira Internacional do Livro de Havana, com grande acolhida dos leitores.


FONTE



sexta-feira, 13 de julho de 2012

Vídeos do Iraque

Sim, eu sei que é a mesma música.






Imagens do Iraque 4 - As "Invencíveis" Máquinas voadoras



AS "INVENCÍVEIS" MÁQUINAS VOADORAS



















Imagens do Iraque 3 - "Invencíveis" Tanques americanos

O "INVENCÍVEL" M1A1 ABRAMS